Blog

18 razões que tornam a Islândia o país mais incrível do mundo

A segunda maior ilha europeia forma um país peculiar, a Islândia. Uma ilha vulcânica de paisagens surpreendentes com uma população pequena, mas muito feliz e desenvolvida.

Terra do gelo e do fogo, o país traz vários exemplos de desenvolvimento social e ambiental. Lá também encontramos uma série de curiosidades que nos fazem questionar se a Islândia realmente faz parte desse mundo.

Apesar de já ter desempenhado um papel secundário - num palco onde os vizinhos nórdicos da Suécia e da Noruega eram os principais personagens -  a Islândia começou a ganhar todos os holofotes, para mostrar ao mundo do turismo tudo o que perdeu nestes anos.

Enormes cavernas subterrâneas de gelo em expansão, vulcões dos mais imponentes, relaxantes piscinas de  banhos termais, cachoeiras, gêiseres, praias de areia negra, campos de lava fumegante, aurora boreal, sol da meia noite e uma população inteira com certo grau de parentesco.

Sem contar as paisagens tão convincentemente lunares que astronautas americanos que pousaram na Lua andaram treinando por lá... Talvez o único desiquilíbrio que a Islândia apresente é o excesso de oferta das mais belíssimas paisagens que o mundo jamais poderia ter imaginado...

Separamos 18 razões que tornam a Islândia o país mais incrível do mundo. Isso porque nem citamos a Bjork, a gastronomia exótica e um museu dedicado ao pênis.

 

1. População familiar

São apenas 300 mil habitantes, em uma ilha de mais de 100 mil km². Para se ter uma ideia, é uma população menor do que a cidade de Florianópolis, em uma ilha 200 vezes maior que a ilha de Santa Catarina.

A capital Reykjvik é a maior cidade da ilha e a população similar a uma cidade interiorana, faz com que todo mundo não apenas se conheça, mas que em algum grau seja parente. Isso ocorreu porque os casamentos se limitaram aos habitantes da própria ilha.

Somado a isso, os islandeses não possuem sobrenomes. Utilizam o nome do pai e adicionam “son” para os homens e “dóttir” para as mulheres.

Há um site que organiza a genealogia dos islandeses, o Islendinabok. Recomenda-se, inclusive, que ele seja consultado para evitar que parentes muito próximos se relacionem. Não são nada raros os  casos de pessoas que descobriram, antes de casar, ser meio irmãos.

2. Sociedade exemplar

Os Islandeses também representam um dos povos mais felizes do mundo, com uma das mais altas taxas de alfabetização e desenvolvimento humano. A igualdade social é impressionante, todos frequentam os mesmos ambientes e desfrutam das mesmas escolas e hospitais, independente da ocupação profissional.

Com uma política liberalista, o país destacou-se como um dos mais desenvolvidos, mas a consequência veio na crise de 2008, que gerou muitos desempregos. Os Islandeses organizaram-se em um modelo democrático participativo, para discutir a própria constituição.

A população se colocou contra as medidas voltadas aos interesses dos grandes bancos, o que muitos críticos dizem ter sido responsável pela recuperação da ilha, diferentemente do que ocorreu com outras nações européias.

3. Mais vulcões do que jogadores

No ano de 2016, com um desempenho impressionante, a Islândia chegou nas quartas de final da Eurocopa. Após derrotar a seleção da Inglaterra, o ápice da frustração inglesa veio no comentário do ex-jogador Lineker  “Perdemos para um país que tem mais vulcões do que jogadores ”.

Veja que espetacular coreografia realizada por 10 mil islandeses durante a Eurocopa, uma união fabulosa para um país que tem míseros 3 habitantes por quilômetro quadrado.

 

4. Condições extremas

As paisagens da Islândias são surreais. São águas termais, lavas, pedras, gelo, lugares inóspitos e condições extremas em uma área relativamente pequena.

Na década de 60, para o treinamento do programa espacial da Apollo, a Nasa levou um grupo de astronautas para se preparar na ilha do gelo.

A cadeia de montanhas ao norte de Vatnajökull glacier serviu como referência de paisagem em comparação à superfície lunar.

 

5. Gêiser

A palavra gêiser vem do idioma islandes. Na ilha eles são extremamente comuns e estão sempre borbulhando.

Um dos mais famoso é o Strokkur. Com intensa atividade, em intervalos menores que 5 minutos, ele explode em erupções que chegam a 20 metros de altura.

6. Vulcão

A atividade vulcânica também é intensa. Um único vulcão em 2010, o Eyjafjallajökull , foi responsável por fechar todo o espaço aéreo europeu. A fumaça foi tão grande que cancelou mais de 100 mil voos e estampou o noticiários por toda Europa.

O lado divertido disso tudo, foi ver os jornalistas se aventurando em pronunciar o nome do vulcão islandes. Escute a pronúncia do vulcão e tente pronunciar igual!

7. Um país de escritores

Outro fato curioso do povo islandês é o hábito literário. Como já citamos, é alta a taxa de alfabetização. As crianças são incentivadas desde cedo a cultivarem a leitura e também a escrita.

1 a cada 10 dos habitantes da Islândia já publicou um livro. Um número impressionante e sem qualquer comparativo no resto do mundo.

Há quem diga que os islandeses escrevem muito porque passam por longos períodos escuros dentro de casa. Mas a realidade é que o país apresenta uma impressionante variação de luminosidade ao longo do ano.

 

8. Latitude muito alta

Às margens do Círculo Polar Ártico, a ilha tem latitudes muito altas, que só não deixam o clima muito mais frio devido a corrente marítima. Mas no céu é visível essa característica.

No verão, sobretudo em junho, há dias extremamente longos, com o famosos sol da meia noite. Já no inverno, as noites chegam a mais de 20 horas. Mas também é nessa época que é possível ver as espetaculares auroras boreais.

9. Poucos insetos

As formigas dominam o nosso planeta, mas na Islândia elas simplesmente não existem. As baixas temperaturas fazem com que elas não consigam fazer seus ninhos.

Raramente são encontrados mosquitos. Devido às baixas temperaturas e a indisponibilidade de alimento, já que todo mundo está quase sempre com o corpo coberto.

Para aqueles que morrem de medo de barata, na Islândia podem ficar tranquilos, que elas nunca irão aparecer...

 

10. Água pura

A Islândia tem a melhor água do mundo, segundo os próprios islandeses. Ao abrir a torneira, a água já sai em uma temperatura quase congelante de 4ºC.

Ela vem diretos das fontes naturais, sem nenhum tratamento ou adição química, extremamente pura.

11. Água termal

Não pense você que toda água da Islândia é gelada. Muito comum por lá são as águas termais naturais.

A Lagoa Azul é uma das atrações mais visitadas pelos turistas. Com temperaturas médias de 38ºC, a água da lagoa é rica em sílica e outros compostos minerais, que se acredita terem efeitos terapêuticos.

12. Energia Limpa

Graças às fontes térmicas, a Islândia tem um potencial energético impressionante. Toda a energia do país é limpa e renovável.

Além das fontes geotérmicas, o país também produz energia com as hidrelétricas. Um exemplo de aproveitamento dos recursos naturais para a geração de energia limpa e barata.

13. Ilha conectada

A tecnologia está sempre presente na ilha de gelo. A internet é extremamente rápida e está acessível para toda a população.

97% do território islandês tem cobertura wi-fi, os estabelecimentos comerciais todos também oferecem conexão rápida e gratuita.

Uma ilha fria e distante, mas conectada rapidamente com o mundo todo.

 

14. Raposa do ártico

A Islândia tem pouquíssimos insetos e uma fauna bem limitada. A abundância de animais aquáticos e aves migratórias não se repete na terra.

O único mamífero terrestre selvagem da ilha é a raposa do Ártico. Animal muito belo e combinando com a exuberância do país. Mesmo assim, pouco encontrado no meio ambiente.

Outros animais foram introduzidos pelo homem. É o caso dos cavalos, cabras, renas e ovelhas. Aliás, a população de ovelhas na Islândia é o dobro da de seres humanos.

15. Aurora Boreal

Um fenômeno espetacular e único. As explosões solares ao entrarem em contato com o campo magnético terrestre, formam um show de cores em direção aos polos.

A aurora boreal ocorre o ano todo, mas pode ser vista mais facilmente no inverno, especialmente entre novembro e janeiro e enfeitam o céu noturno desse período mais escuro.

16. Respeito às diferenças

A Islândia também é um país muito avançado nos direitos humanos. Muito inclusiva e tolerante com todos. Portadores de necessidades especiais, LGBTTs, estrangeiros, ninguém é considerado diferente e há oportunidades para todas as pessoas.

Além disso, é fato que a Islândia é um dos países que mais respeita a mulher. Foi lá que tivemos a primeira chefe de estado mulher da Europa e depois também a primeira chefe de governo declaradamente homossexual.

17. Criaturas míticas

A Islândia tem os maiores índices de ateus e agnósticos do mundo. Mas isso não impede que a maior parte da população acredite nos seres míticos do folclore nórdico.

Colonizada pelos vikings, com mistura entre escandinavos e celtas, a Islândia preservou algumas das crenças mitológicas, mesmo com uma maioria protestante. Como aparentemente lá tudo é possível, alguns islandeses dizem se comunicar com elfos, trolls e outras criaturas da natureza.

18. País mais seguro do mundo

Para encerrar essa lista com chave de ouro. Além de tudo isso e uma das maiores expectativas de vida do planeta, a Islândia também é o lugar mais seguro do mundo, mesmo com vulcões ativos e perigosos.

Isso porque a criminalidade lá é praticamente inexistente. O país também não tem exército e nem mesmo a polícia anda armada nas ruas. A cadeia está sempre vazia. E nos últimos anos, teve mais de 10 banqueiros condenados à prisão.

Com poucas atividades, a polícia islandesa se diverte e faz sucesso no Instagram. Confira!

 

 

Conheça a Islândia! Viaje com a Freeway! 

A Freeway organiza viagens frequentes para a Islândia. Esse ano teremos duas saídas em grupo, uma em setembro e outra em novembro. Programe suas férias.

Viagens especiais, desenhadas para proporcionar experiências fantásticas pelas paisagens islandesas. Roteiros itinerantes, com tempo para vivenciar os atrativos turísticos do país. Tudo com pequenos grupos e guias em português. Aproveite.

Saída em setembro, você ainda pega uma temperatura um pouco mais amena por ser final do verão. E como já se inicia o período de menos luz, existe a possibilidade de se ver a Aurora Boreal. Confira!

Sáida em novembro, com oportunidade de avistar a majestosa aurora boreal. Será quase inverno, onde as noites são longas e muito frias! Experiência única.

Outra opção, são nossas saídas diárias. Você viaja de acordo com o seu planejamento, mas sem um grupo. Aqui você confere uma viagem de 5 dias. E aqui uma viagem de 12 dias.