Depoimentos - Aparados da Serra voltar para depoimentos

Rose

16/07/2016 - Oi, Aderbal!

A viagem foi bem organizada: o guia Cristian muito capaz, disponível, com muita bagagem de vida e experiência nessa viagem em particular. Ótimo motorista, sabia tudo sobre como chegar aos locais sem nunca consultar mapas ou qualquer outro instrumento. 
A hospedagem em Antonio Prado foi excelente, recepção com grande calor humano - especialmente a Belony. Um evento marcante foi a sopa no centro da cidade, na sorveteria da amiga da Belony (sorveteria no verão e soperia no inverno). Acabamos, a pedido da Rose, com uma cantoria: Belony e moço genro da dona do restaurante e as pessoas presentes. Esse tipo de evento (cantoria ou dança) dá um colorido especial à viagem.
O segundo momento - em Cambará do Sul: fizemos um de-tour e fomos até um Mirante da Serra Geral, antes de chegar em Cambará. Local com bela vista de todo o grande vale. Ao chegar em Cambará, fomos até o local das geléias e o casal não estava lá. Então fomos passear no Parador Casa da Montanha, onde fizemos uma pequena caminhada e depois, ao chegar no Hotel, fizemos outra boa caminhada para ver a floresta com os xaxins imensos - centenários!!! Muito interessante. 
O Hotel Eco Cambará é de uma qualidade excepcional: o dono - José Augusto - mestre em Ecologia e Sustentabilidade. Ele nos proporcionou uma caminhada de 2 horas, saindo da propriedade do hotel até uma reserva da Prefeitura, chegando até o topo da montanha, de onde se tinha uma vista geral da cidade de Cambará. Nessa caminhada ficamos sabendo que a NASA doou 3 sequoias germinadas em solo proveniente da lua! Uma delas está em Cambará, em frente à Igreja Matriz. 
As duas noites que passamos no hotel, jantamos no restaurante anexo ao hotel. Para nossa surpresa, além da qualidade da comida preparada pelo Chef, fomos brindados com uma apresentação de Harpa Paraguaia, pela esposa do Chef. Na segunda noite, além da harpista, teve o acompanhamento da filha (com violino) e do filho (com teclado), ambos com idade entre 9 e 11 anos!!!
Ocorreu tranquilo a ida ao Canion Fortaleza e posterior caminhada até a Pedra da Surpresa. No segundo dia, fomos ao Itaimbezinho: fomos caminhando até a Trilha mais curta e, na trilha mais longa - a do Vértice - por indicação do dono do hotel de Cambará, pedimos "carona" numa caminhonete do Parque - isso porque éramos Senior Citizens! É oportuno mencionar que o nosso "grupo" era constituído apenas e tão somente de 2 casais. O casal Cristine e Paulo foram ótimos companheiros mas num grupo com mais pessoas (na Freeway tivemos várias oportunidades de viajar com grupos maiores) a troca de experiências e opiniões fica mais enriquecida e mais vibrante.
Por sugestão do Cristian - o que nós também aprovamos, pedimos um box lunch para levar para o Itaimbezinho e seguir depois diretamente pela Estrada do Faxinal, para Praia Grande e Torres. Chegamos em Torres a tempo de fazer uma bela caminhada pelas torres, praia e parque da Guarita, antes de chegar no Hotel da Guarita, que, por sinal, foi muito bom. Jantamos no próprio hotel. 
O tempo colaborou muito, apesar do grande frio nos primeiros dias, com geada e, ao voltar do jantar em Antonio Prado (22h) o termometro marcava 4º C negativos! Na noite de Torres, o tempo nublou e choveu durante a noite e no caminho até Osório, quando começou a melhorar.
Chegamos em Tavares com sol, bem na hora do almoço! O Marinésio nos esperava (o Batista estava viajando para o Japão). Todo o staff do hotel  é muito amável, receptivo e o Marinésio deu conta dos passeios totalmente. 
Como eramos poucos, as refeições foram feitas fora do hotel. Os dois jantares foram especiais, no restaurante do Maurício: comida requintada, bem feita e visual lindo (no segundo jantar, foi bife acebolado!!!!!!)
Com relação aos passeios de 4x4 na Lagoa dos Patos e do Peixe, foram, além de cheios de "emoção", com paisagens fantásticas. Os pássaros, apesar de não serem muitos nesta época do ano, foram de uma beleza impar. Nesses passeios tivemos oportunidade de caminhar pelas dunas e visitar 3 farois de navegação: Cristovão Pereira, Capão da Marca e de Mostardas, o mais lindo de todos.
O contato com uma família local, no sítio do Vô Tárcio e D. Ana, foi muito bom e gostoso! A comida preparada no fogão de lenha por D. Ana e Márcia estava muito saborosa. Depois do almoço, do lado de fora e ao sol, batemos um longo papo com eles!
No último dia, passamos por Mostardas, e visitamos o atelier do escultor ELOIR, especialista em escultura de pássaros da região. Inacreditável a perfeição dos pássaros.
Fizemos uma pequena caminhada por Mostardas, com o seu casario açoriano. Curioso é que o padroeiro da cidade é São Luís Rei, que é o mesmo padroeiro de São Luís do Maranhão!  
Preferimos almoçar em Osório e, a conselho do Cristian, fomos no restaurante A LENHA, no Morro da Borússia. Espetacular!
Fizemos uma parada no Parque Eólico de Osório: que beleza silenciosa!
Chegamos no aeroporto de Porto Alegre a tempo e, para nossa surpresa, como tinha havido muito nevoeiro, o aeroporto tinha ficado fechado por várias horas e estava uma confusão!!!! Nosso vôo foi chamado no horário certo mas só saímos de lá com uma hora de atraso, porque estavam esperando solucionar a vinda das pessoas que tinham tido os vôos cancelados.
Chegamos bem em São Paulo.

Mais uma vez ficou confirmada a competência da FREEWAY e seus contratados.
Essa competência nos permite recomendar a FREEWAY a qualquer pessoa que goste de viajar. Muito obrigado.


Rose e Eloy